animes2O Anime (ou “animê” como preconizam os entusiastas) é uma das marcas de nosso tempo. A palavra “anime” parece vir de “animation” e é utilizada no Japão para todo tipo de desenho animado, nacional ou estrangeiro. Para nós, Anime significa o tipo específico de desenho animado do Japão.

O Anime constitui toda uma cultura com características próprias e que vem enriquecendo a vida de crianças, adolescentes e adultos há mais de 50 anos. Já várias gerações cresceram torcendo pela vitória final de seus heróis e angustiadas com os dramas da vida real expostas no desenho. Pois Anime é mais do que um mero desenho animado, é um retrato da vida.


anime1Diferente dos desenhos americanos, o Anime japonês tende a mostrar coisas cotidianas da vida, como o personagem que muda de roupa conforme a situação ou atuando no trabalho, no lazer, indo à escola. Mesmo a morte apresenta sua faceta pois faz parte da vida, enquanto desenhos de outros países evitam este tipo de assunto (repare que os aviões abatidos em desenhos americanos sempre mostram o piloto saltando de pára-quedas).

Origens
Os japoneses fazem experimentos com desenhos animados desde 1916. Mas com o final da Segunda Guerra Mundial e a ocupação americana, o Japão se viu em contato direto com a cultura ocidental de várias maneiras, sendo que os desenhos animados e os quadrinhos representavam uma parcela importante.

Na década de 1950 os estúdios japoneses começaram a ensaiar e desenvolver projetos em animação, culminando no primeiro desenho comercial exibido em cinemas, “Hyakujaden” (A Lenda da Serpente Branca), em 1958, e já colorido. Já em 1962 aparecia o primeiro Anime feito para a televisão, “Manga Calendar”, cuja saga durou dois anos.

Em 1963 surge um divisor de águas, “Tetsuwan Atom” (Astro-Boy), baseado em um mangá e que trazia características que se tornaram marca registrada do Anime, como olhos grandes e cabelo espetado. Seu sucesso foi estrondoso e cativou não apenas os japoneses como o resto do mundo, dando início à poderosa indústria de animação japonesa. No seu  rastro vieram sucessos como “Super Dínamo” (Paa Man), grande ídolo também da juventude brasileira dos anos 60 e início de 70. Apesar de possuir menos recursos que seus rivais norte-americanos, o Anime fincou pé com suas histórias engraçadas, muita ação e situações do cotidiano.

Em 1967 o Japão conquista o mundo com o primeiro sucesso internacional: “Speed Racer“ (Maha Go Go Go). A animação japonesa atingia sua maturidade e passava a concorrer diretamente com desenhos de outros países. No mesmo ano estrearam outras 14 séries como “A Princesa e o Cavaleiro” (Ribbon no Kishi) e “Fantomas” (Ogon Batto), com melhoras significativas na trilha sonora que passava a ter qualidade cinematográfica e que distingue os Animes até hoje.anime2
As décadas de 70 e 80 marcaram o grande “bum” da animação nipônica, que se alastrou rapidamente pelo mundo. Desenhos temáticos envolvendo automóveis, artes marciais, monstros, crianças e bichos passaram a surgir em número cada vez maior. Na década de 90 outro marco japonês surge: “Akira”, uma animação em longa-metragem que criou toda a nova linguagem dos Animes através de seu ritmo frenético e futurista.
Em 2003 o longa-metragem “A Viagem de Chihiro” (Sen to Chihiro no Kamikakushi) ganha o Oscar de melhor animação, consagrando a qualidade dos Animes japoneses.

Características do Anime
Suas séries contadas em capítulos perfazem uma novela em que os personagens se desenvolvem, amadurecem e mudam seu modo de ver o mundo. A caracterização psicológica é extremamente importante no Anime, dando ênfase aos aspectos emocionais dos personagens. O Dr. Itoo Kioshi, um dos maiores especialistas mundiais em expressões faciais, reuniu uma equipe de pesquisadores para analisar os personagens dos Ani-mes e compará-los com os desenhos da Disney, considerados referência em emoti-vidade e qualidade. Os personagens dos Animes mostraram mais de 48 expressões definidas, com mais de uma centena de variações, enquanto os desenhos americanos possuíam 15 expressões e 34 variações.

Seus ângulos de câmera são ousados e os enqua-dramentos tendem a seguir uma linguagem própria. Muita ação e movimento se alternam com cenas praticamente paradas, onde apenas os cabelos, roupas ou cenários se movimentam. Os sentimentos são exteriorizados através de analogias próprias dos Animes, como uma enorme gota de água na testa indicando constrangimento, dentes, chifres ou veias protuberantes e exageradas mostrando raiva excessiva ou ainda diminuição de tamanho mostrando vergonha.

Os olhos são sempre grandes, coloridos e brilhantes, como uma janela perfeita para demonstrar a emoção de seu personagem. É uma das características principais dos Animes e fundamentais para a expressão do personagem. Os cabelos são muito coloridos e vivos, em geral espetados ou longos com franja, no caso de personagens masculinos, ou longos e esvoaçantes no caso de femininos. As roupas são detalhadas e bem marcantes, muitas vezes expressando a cultura japonesa por trás do desenho.

Existem classificações nos Animes de acordo com o assunto ou público-alvo, como “Kodomo” (Anime para crianças pequenas), “Shoujo” (para meninas), “Mecha” (com robôs gigantes), “Seinen” (para adultos e adolescentes masculinos), “Josei” (para adultos e adolescentes femininos).

 

 

Gilberto Antônio Silva é jornalista, terapeuta e escritor. Estuda filosofias e culturas orientais desde 1977 e é autor de mais de uma dúzia de livros. É um dos maiores pesquisadores e divulgadores do Taoismo no Brasil, além da cultura oriental e artes marciais.

site: www.laoshan.com.br

Books!
Shop!
FacebookTwitterGoogle Bookmarks
Scroll to top