resolução de ano novoO Natal está próximo e, portanto, o ano novo ocidental. Época de celebrações, de envolvimento com a família e os amigos, e época de pensar no futuro e refletir sobre o passado. Época das famosas “resoluções de ano novo”, que de tão ilusórias se tornaram motivo de piada para todos. O que tencionamos fazer na passagem de ano, raramente se sucede de fato.

Esta semana me peguei refletindo sobre o Caminho, toda a trajetória que descrevi ao longo de 40 anos de estudos em cultura oriental e quase 30 dedicados ao Taoismo. Às vezes bem acompanhado, às vezes mal acompanhado, quase sempre sozinho. Embora saiba que estar sozinho é ilusório em um universo do qual somos parte integrante. Como bom taoista essa reflexão não se pautou pela culpa e arrependimento, mas por uma visão franca e sincera do que se sucedeu.

Quanto mais me sinto próximo ao Tao, mais forte percebo minhas amarras terrenas, os apegos irresistíveis do mundo que nos prendem a este ciclo interminável de existências. Como taoista, sei que isso não é ruim, pelo contrário. A evidência dos defeitos e desejos só se dá por conta de um contraste maior. Só percebemos com clareza nosso lado sombrio quando expostos à luz da Verdade.

Não podemos negar quem somos, podemos apenas persistir no Caminho correto, no retorno à nossa fonte. Toda existência humana é baseada nesse singelo fato, quer se acredite nisso ou não. Todas as tradições orientais expõe esse fato e desnudam a condição humana a um simples desejo de retorno à essa fonte primordial. Isso nos impele para frente e nos leva a explorar estados e percepções muito além do alcance das palavras. Realidades com as quais nosso intelecto pode apenas sonhar pela impossibilidade de alcançá-los.

Essa caminhada só avança por conta da remoção dos diversos filtros que nossa condição humana nos impõe, filtros que impedem que vejamos a realidade verdadeira. Esses filtros e véus que obscurecem nossa visão não podem ser arrancados violentamente, mas precisam de amadurecimento para cair, como uma fruta que se encontra pronta a passar para uma nova fase de seu desenvolvimento, desta vez como a semente da vida. Caindo em solo fértil ela germinará e levará à existência de um novo exemplar.

Da mesma forma nosso avanço se processa de modo constante, embora muitas vezes dolorosamente lento. Mas se existe sinceridade no coração do caminhante, será certeza que encontrará seu objetivo no final. A sinceridade da busca é o fator mais importante que existe no Caminho. Pouco importam as práticas, os livros lidos ou os vários mestres consultados. Apenas a pureza de intenção em seu interior é que será o veículo de sua realização.

Estou aqui falando apenas sobre Taoismo? Claro que não. A condição humana é a mesma, acredite no que quiser. Mas não existe caminho, religião, magia, filosofia ou moral que possa ser trilhada de modo integral e verdadeiro sem a sinceridade em nosso coração. Pouco importa se você acredita em Deus ou não, segue o Tao ou Jesus, ou ambos, ou Buda, ou não crê em nada. A essência do coração é a mesma. Sua necessidade é a mesma. E seu Caminho é o mesmo: a sinceridade.

Laozi nos adverte várias vezes sobre os problemas causados pela engenhosidade, pelas artimanhas usadas na vida, pela intencionalidade de todos os atos, quando agimos sempre pensando em uma recompensa ou consequência que nos favoreça. Nossa caminhada se dá da mesma forma: a sinceridade e pureza de nossas ações é testada pela intensidade de sua não-intenção. Fazer o que temos que fazer, o que nosso coração manda fazer, sem pensar em recompensas ou em vantagens futuras, reduzindo o Ego ao que ele representa – uma mínima parte do que realmente somos.

Quando se deparar com seu lado sombrio lembre-se sempre de que só consegue observá-lo por que existe luz suficiente. E não existe luz que não possa ser aumentada, ampliada e aperfeiçoada. Foque em aumentar a luz e verá as trevas de sua alma se reduzirem à sua verdadeira insignificância.

Dirija seus pensamentos e ações sempre na direção do bem, sempre com respeito a todas as criaturas e sempre com sinceridade no coração. Se mantiver sua mente tranquila e seu coração sereno, escutará a verdadeira sinceridade brotando em seu interior. Escute-a e siga sua direção e jamais se enganará. Com certeza chegará aonde deseja ir, qualquer que seja esse lugar.

Saúde e longevidade em sua caminhada.

 

______________________________

Gilberto Antônio Silva é Parapsicólogo, Terapeuta e Jornalista. Como Taoista, é um dos mais importantes pesquisadores e divulgadores no Brasil dessa fantástica cultura chinesa através de cursos, palestras e artigos. É autor de 14 livros, a maioria sobre cultura oriental e Taoismo. Sites: www.taoismo.org e www.laoshan.com.br

Books!
Shop!
FacebookTwitterGoogle Bookmarks
Scroll to top