O povo chinês é conhecido mundialmente pela sua sabedoria de vida, sendo que o velhinho chinês tornou-se quase um arquétipo de sábio. Essa profundidade filosófica é fruto, com certeza, da elevada antigüidade de sua cultura, remontando a mais de 6.000 anos atrás.

Um dos pilares dessa sabedoria é o Taoísmo, filosofia que nasceu na aurora dos tempos e que começou a tomar forma à partir do século VI a.C. O Taoísmo é uma influência marcante no pensamento chinês, desde a literatura até as artes plásticas, arquitetura, caligrafia, artes marciais e culinária. Sua influência é tão grande e profunda que por vezes essa importante filosofia passa desapercebida, dispersa entre aplicações mais práticas e populares.

 

Principalmente para nós, ocidentais, o Taoísmo ainda é algo nebuloso e vago, ainda não totalmente compreendido em toda a sua profundidade. Com certeza muitos nem sequer ouviram falar desse ramo do pensamento chinês, mas com certeza conhecem suas artes relacionadas: Acupuntura, Feng Shui, I Ching, Tai Chi Chuan, Chi Kung. Soa familiar?

Descobrindo a Cultura Chinesa
Nos últimos 50 anos acompanhamos grandes mudanças mundiais em todos os segmentos. À partir da década de 60 vimos o crescente interesse nas culturas orientais, começando com a indiana, passando pela japonesa e chegando à chinesa em meados da década de 70. Muitos elementos e artes da cultura chinesa foram então expostos à luz dos ocidentais.

Bruce Lee colocou as artes marciais chinesas, conhecidas no Ocidente como "Kung Fu", nas telas de todo o planeta no início dos anos 70. Kung Fu se tornou rapidamente um sinônimo não apenas de luta marcial mas também de intensa filosofia de vida, iniciando com o seriado "Kung Fu", com David Carradine, até o filme "O Templo Shaolin", com o então adolescente Jet Li, em 1980, que fez crescer novamente o interesse não apenas nas artes marciais chinesas, mas na vida e na filosofia desse povo..

No rastro do Kung Fu vieram artes mais suaves, como o Tai Chi Chuan. Nascido arte marcial e depois divulgado como arte terapêutica após a década de 50, o Tai Chi conta com milhões de adeptos em todo o mundo, tornando-se saudáveis e dispostos através de seus movimentos suaves e fluidos.

Richard Nixon, em sua célebre viagem à China em 1972, trouxe em sua bagagem, de maneira indireta, os benefícios da Acupuntura e da Medicina Chinesa. Conta-se que a visita estava sendo acompanhada pelo Editor-Chefe do The New York Times. Este teve que se submeter a uma cirurgia de emergência e seu sofrimento foi atenuado pela Acupuntra. De volta aos Estados Unidos, redigiu um enorme editorial elogiando esta técnica. Isso ganhou mundo e hoje a acupuntura é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde.

O Feng Shui começou sua expansão vertiginosa em meados da década de 80 e início da década de 90. Todo mundo hoje se interessa, ao menos um pouco, em saber como harmonizar melhor sua residência ou comércio.

O Chi Kung, arte de manipular o Chi (energia vital), começou a despontar seriamente na China em meados da década de 80, sendo que o interesse em suas técnicas vem aumentando muito em todo o mundo e também no Brasil, principalmente nos últimos 5 anos.

Redescobrindo o Taoísmo
O que todas essas artes culturais tem em comum? A filosofia taoísta! Tai Chi Chuan, Acupuntura, Feng Shui, Chi Kung, são artes que "funcionam" com base em fundamentos filosóficos taoístas, como Yin/Yang, Cinco Movimentos ("Elementos"), Chi, Meridianos e pontos energéticos, flexibilidade e suavidade. Isso, entretanto, não está muito bem divulgado, fazendo com que sua filosofia de base ainda seja um tanto quanto "misteriosa" para as pessoas em geral.

O primeiro paso para redescobrir o taoísmo é verificar que existem duas vertentes taoístas: Taochia, ou "taoísmo filosófico" e Taochiao, ou "taoísmo religioso". A base dos dois é a filosofia taoísta, de modo que, ao estudar qualquer de suas artes, você não tem a necessidade de se envolver com nenhum tipo de religião. Isso é muito importante! Religião é um sistema de crenças pessoais; filosofia é um método racional de procurar a sabedoria. É desse útlimo método que estamos falando. Não importa qual seja a sua religião, você pode estudar os conceitos taoístas e se beneficiar de suas artes, sem problema algum!

O Taoísmo é uma filosofia cujas raízes retrocedem no tempo até épocas remotas. Sua base é a harmonia, seja entre os homens ou entre o Homem e o meio ambiente. A busca incansável dessa filosofia é justamente evitar conflitos e restaurar a integridade que existe entre todas as coisas, fazendo com que todos os processos e interações naturais ocorrram sem obstáculos ou sofrimento. Os antigos taoístas mapearam diversos conceitos e leis universais que regem os eventos, formulando uma série de princípios que acabaram norteando todas as artes taoístas e influenciando todo o conjunto da cultura chinesa.

Bem, mas o que isso tudo tem a ver conosco, ocidentais do século XXI?

Aplicações Modernas
O estudo do Taoísmo e seus princípios tem como benefício indireto proporcionar ampla compreensão de suas artes. Pratica Tai Chi Chuan? Gosta de Feng Shui? Se trata com Acupuntura? Então a filosofia taoísta irá lhe abrir os olhos e explicar o funcionamento de cada uma destas artes. Isso além de auxiliar a sua prática, também o ajudará bastante a evitar as "armadilhas" que existem por aí. Devido à enorme popularidade das artes taoístas, muita gente tem se tornado "professor", "especialista" ou "consultor" sem ter a bagagem de fundamentos necessária, muitas vezes inventando histórias e técnicas milagrosas… De posse desse conhecimento, torna-se fácil diferenciar as pessoas sérias dos embusteiros ou até de pessoas ingênuas que se deixaram enganar e agora proliferam o engano para outros.

O que denominei de "benefício direto" seria a aplicação dessa filosofia diretamente em sua vida, através de seus princípios e estudos fundamentais. Vou citar aqui alguns breves exemplos.

Todos sabemos que hoje a informação é um veículo muito dinâmico, causando a necessidade de nos mantermos informados constantemente. Nem todos conseguem isso. O estudo do Taoísmo leva as pessoas a serem bastante flexíveis com relação aos fatos do dia-a-dia. Essa filosofia prega a mutação contínua e perpétua de todas as coisas. A necessidade de reciclar velhos pensamentos e sentimentos é permanente. Ninguém pode parar no tempo, mesmo porque o tempo prossegue inexoravelmente. Há milhares de anos os taoístas ensinam que o Universo se mantêm em perpétua mutação, um ciclo se sucedendo a outro. Um taoísta não pode ficar parado, esperando o tempo passar, mas deve ser flexível e estar apto a mudanças freqüentes. Isso é muito útil hoje em dia, quando conceitos, regras morais e fundamentos científicos se modificam a todo momento e o conhecimento humano dobra a cada 4 anos. Manter-se flexível e receptivo às mudanças elimina muito do estresse e das tensões do cotidiano, melhorando relacionamentos humanos e profissionais e deixando as pessoas viverem melhor.

Um outro conceito taoísta importante é o do Wu-Wei, ou a Não-Ação. Esse fundamento é muito mal-interpretado no Ocidente, onde muitos acreditam que o taoísta fica parado, esperando a laranja cair da árvore em sua mão. Nada disso! A Não-Ação ensina que devemos seguir o fluxo do Universo, o fluxo da Vida, prosseguindo sem luta e sem tensões. Se todas as circunstâncias o levam a morar em São Paulo, não teime em mudar-se para Curitiba. Se um projeto não se concretiza após anos e anos de luta árdua, examine melhor para ver se está abordando o problema do modo correto. Se encontrar uma nova configuração, seja flexível e tente mudar. Muitas vezes estamos "remando contra a correnteza", e ao mudarmos um pequeno detalhe o projeto todo se viabiliza instantaneamente! Essa é a base do Tai Chi Chuan, por exemplo: quando o oponente avança, o praticante cede; quando ele recua, o praticante vai atrás. Como o objeto e a sombra. Procure sempre fazer as coisas o mais naturais possíveis. "Sinta" as dificuldades e contorne-as. Seja como a água, expressão máxima dos antigos mestres taoístas.

Para concluir essa introdução, o conceito de Yin/Yang é um dos fundamentos mais importantes do Taoísmo. Para o taoísta, Yin e Yang são dois aspectos da mesma coisa, duas faces do mesmo objeto. Cara e coroa são lados da moeda, mas não se pode ter apenas um. A moeda é feita com os dois. Do mesmo modo, não existe "bem" e "mal", em caráter absoluto. Cada um depende do ponto de vista e do lado em que se encontra. Isso destoa bastante de nossa cultura, mas um exame mais a fundo pode revelar essa verdade. Imagine um jogo de futebol entre Palmeiras e Corinthians. Se o Palmeiras ganha, isso é bom ou mal? Há controvérsias… Isso pode ser aplicado em quase tudo, de guerras a problemas profissionais. O que o Taoísmo nos ensina é sempre manter a cabeça aberta e procurar compreender os dois lados da questão. Tudo o que nos acontece, bom ou mau, possui um significado mais profundo. Tudo é um fator de aprendizado e de aperfeiçoamento para nós. Apenas devemos estar atentos e não ficar toda hora reclamando da dureza da "aula" ou do rigor do "professor". No final, o aprendizado é para a nossa própria evolução.

Quando tiver um grande problema ou obstáculo em sua vida, pare e pense: "O que isso está me ensinando?"

 

Gilberto Antônio Silva é jornalista, terapeuta e escritor. Estuda filosofias e culturas orientals desde 1977 e é autor de mais de uma dúzia de livros. É um dos maiores pesquisadores e divulgadores do Taoismo no Brasil, além da cultura oriental e artes marciais.

site: www.laoshan.com.br

Books!
Shop!
FacebookTwitterGoogle Bookmarks
Scroll to top